Desenvolvimento e validação da bateria de testes Ankle-GO para discriminar e prever o regresso à atividade desportiva, após entorse lateral do tornozelo

Revisão realizada por Dr Teddy Willsey info

PONTOS CHAVE

  1. A entorse lateral do tornozelo é a lesão osteoarticular mais comum registada no desporto.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

A entorse lateral do tornozelo (LAS - lateral ankle sprain) é a lesão osteoarticular mais frequente observada no desporto (1). As taxas de re-lesão podem chegar a 70% em atletas e desportos de alto risco, com quase 40% a desenvolverem instabilidade crónica do tornozelo (CAI - chronic ankle instability) no prazo de um ano após a primeira lesão (2, 3). Aproximadamente 90% dos atletas regressam à atividade desportiva (RTS - return to sport) no prazo de uma semana após a lesão, e 44% no prazo de 24 horas, o que demonstra a cultura de RTS rápido após uma LAS (4, 5).

Neste artigo, os autores procuraram criar uma escala clínica composta denominada "Ankle-GO" para fornecer aos clínicos uma bateria de testes e medidas, baseada em critérios para avaliar o RTS (return to sport). Para selecionarem a bateria de testes e medidas, utilizaram um consenso recente de especialistas chamado estrutura PAASS para a avaliação da LAS (lateral ankle sprain) (6). PAASS significa gravidade da dor (Pain severity), limitações do tornozelo (Ankle impairments), percepção do atleta (Athlete perception), controlo sensório motor (Sensorimotor control) e desempenho funcional desportivo (Sport functional performance). O estudo teve como objetivos a avaliação da capacidade do Ankle-GO de prever o RTS e diferenciar aqueles com LAS ou CAI (chronic ankle instability) de pessoas saudáveis.

Aproximadamente 90% dos atletas regressam à atividade desportiva no prazo de uma semana após a lesão, e 44% no prazo de 24 horas, o que demonstra a cultura de Regresso rápido à Atividade Desportiva após uma entorse lateral do tornozelo (4, 5).
bulb
Para entorses de tornozelo mais graves, o Ankle GO tem o potencial de ser uma ferramenta muito útil, já que pode ser administrado em cerca de 30 minutos e não requer nenhum equipamento dispendioso.

MÉTODOS

  • Este estudo prospectivo incluiu 64 pacientes que sofreram uma lesão limitante da atividade no tornozelo no último mês, que participavam anteriormente em desportos pelo menos uma vez por semana, bem como um grupo de controlo com 30 indivíduos.
Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 272 mais