Fraturas de stress do pé - evidências atuais sobre o tratamento

Revisão realizada por Ian Griffiths info

PONTOS CHAVE

  1. As fraturas de stress são responsáveis por até 20% das lesões atléticas e os ossos mais frequentemente afetados no pé são os metatarsos e o navicular.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

As lesões por stress ósseo representam ~10-20% de todas as lesões desportivas, e 80-95% das lesões por stress ósseo ocorrem na extremidade inferior (1). Podem levar a períodos prolongados e dispendiosos de afastamento do desporto. Como tal, a deteção precoce e o tratamento adequado são fundamentais, o que pode explicar a razão pela qual este tópico é publicado tão regularmente. É importante compreender o mecanismo fisiopatológico que conduz a este problema (2), juntamente com uma apreciação de alguns dos fatores de risco geralmente sugeridos, incluindo o sexo (3), fatores biomecânicos (4), estado metabólico (5) e hábitos de treino (6).

Já existem várias revisões que discutem o diagnóstico e a gestão das fraturas de stress dos membros inferiores (7,8) e este artigo é um dos mais recentes a tentar resumir a evidência atual, com particular referência ao pé.

As lesões por stress ósseo representam cerca de 10-20% de todas as lesões desportivas e 80-95% das lesões por stress ósseo ocorrem na extremidade inferior.
bulb
No âmbito da anamnese, devem ser sempre colocadas questões relacionadas com a dieta/nutrição, a história menstrual e quaisquer alterações no volume ou intensidade do treino.

MÉTODOS

A natureza da revisão foi mais narrativa do que sistemática e, como tal, não foi efetuada qualquer meta-análise.

Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 284 mais