(Golden Oldie) Lesão do tecido conjuntivo em ruturas musculares do Tríceps Sural e retorno ao jogo: correlação com ressonância magnética

Revisão realizada por Adam Johnson info

PONTOS CHAVE

  1. O artigo propõe um novo sistema de classificação para as estruturas do do Tríceps Sural devido à sua anatomia mais complexa.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

Dentro do desporto de elite há uma riqueza de pesquisas em torno da avaliação e gestão da musculatura anterior e posterior da coxa. No entanto, apesar de ser um dos grupos musculares mais lesionados (1), o complexo dos gémeos é menos pesquisado.

É bem sabido que a musculatura do Tríceps Sural é composta por tecido conjuntivo complexo (2). A integridade deste tecido conjuntivo que está localizado tanto na superfície como intramuscularmente é importante para o funcionamento normal da parte inferior da perna. Embora pesquisas na região posterior da coxa (3) tenham proposto que o envolvimento do tendão intramuscular como resultado de uma lesão é um fator de mau prognóstico, isso não foi analisado nos gémeos.

O principal objetivo deste artigo foi avaliar a integridade do tecido conjuntivo do gémeos em lesão aguda e também propor um sistema de classificação apropriado juntamente com a correlação do tempo de retorno ao jogo.

É bem sabido que a musculatura do gémeos é composta por tecido conjuntivo complexo.
bulb
A ressonância magnética deve ser a modalidade de imagem preferida se houver qualquer suspeita de lesão muscular na área.

MÉTODOS

Para este estudo, os autores pesquisaram retrospectivamente no seu banco de dados utentes que haviam comparecido à sua clínica com suspeita de lesão muscular aguda dos gémeos, que foi posteriormente confirmada por ressonância magnética. Foram excluídos do estudo os utentes

Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 260 mais