Respostas fisiológicas e perceptuais ao movimento agudo dos braços (efetuado em ergómetro de braços) com restrição do fluxo sanguíneo

Revisão realizada por Dr Nicholas Rolnick info

PONTOS CHAVE

  1. O exercício aeróbio com restrição do fluxo sanguíneo (RFS) tem demonstrado produzir um stress fisiológico superior ao mesmo exercício realizado sem RFS e um stress semelhante ou menor ao exercício aeróbio de alta intensidade.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

Há uma crescente aceitação das indicações para o uso de exercícios de resistência de baixa intensidade associados à restrição do fluxo sanguíneo (RFS) em pessoas em reabilitação, visando melhorar a massa muscular e a força, com resultados semelhantes aos do exercício de resistência de alta intensidade (1). No entanto, há menos evidências sobre o exercício aeróbio de baixa intensidade para melhorar resultados musculoesqueléticos e cardiovasculares relevantes para fisioterapeutas (2), e ainda menos (n = 2) envolvendo exercícios aeróbios para a parte superior do corpo.

Assim, o objetivo deste estudo foi investigar as respostas fisiológicas e perceptuais ao exercício agudo de movimentação de braço com restrição do fluxo sanguíneo em comparação com exercícios de baixa intensidade com fluxo livre, bem como exercícios de alta intensidade.

Há uma aceitação crescente do uso de exercícios de resistência de baixa intensidade associados à restrição do fluxo sanguíneo em pessoas em reabilitação, visando melhorar a massa muscular e a força.
bulb
Pressões aplicadas entre 50-70% da Pressão Arterial Oclusiva não parecem elevar as respostas perceptuais além das observadas no exercício de alta intensidade e, na verdade, podem ser preferíveis para induzir um stress fisiológico sem excesso de carga cardiovascular.

MÉTODOS

  • Este estudo adotou um modelo de medidas repetidas aplicadas a um único grupo, no qual cada um dos 10 participantes (n = 2 mulheres; 25 ± 6 anos) passou por duas sessões de familiarização, seguidas por quatro condições experimentais em
Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 248 mais