Uma pesquisa sobre gamificação para cuidados de reabilitação em saúde: aplicações, oportunidades e desafios

Revisão realizada por Dr Xiaoqi Chen info

PONTOS CHAVE

  1. As técnicas de gamificação podem ser úteis para complementar a terapia tradicional, proporcionando um ambiente mais divertido, envolvente e motivador e para ajudar a acompanhar o progresso do utente utilizando análise de dados ao vivo.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

A gamificação no contexto da reabilitação da saúde é o uso da tecnologia de jogos para envolver e motivar as pessoas a atingirem seus objetivos terapêuticos. Por meio de ajustes na mecânica do jogo e nos elementos de design, a gamificação pode ser adaptada a várias configurações de reabilitação e pode ser uma poderosa ferramenta complementar para auxiliar os clínicos de várias maneiras:

  1. Motivar e aumentar o envolvimento do utente por meio da incorporação de elementos de jogo, como recompensas, narrativas e quadros de líderes.

  2. Fornecer feedback personalizado aos utentes por meio de rastreamento de dados ao vivo, avatares virtuais e análise de painel.

  3. Aumentar a intensidade do exercício e melhorar a qualidade do controlo motor (por exemplo, utilizando terapia assistida por robô para utentes neurológicos).

  4. Aumentar o apoio social dos utentes por meio da interação com uma comunidade online.

O objetivo desta revisão foi discutir a aplicação da recente tecnologia gamificada em ambientes de reabilitação física e seus desafios na implementação.

A gamificação no contexto da reabilitação da saúde é o uso da tecnologia de jogos para envolver e motivar as pessoas a atingirem seus objetivos terapêuticos.
bulb
Alguns benefícios do uso da tecnologia de gamificação na reabilitação incluem maior motivação, adesão, feedback e melhor suporte e engajamento social.

MÉTODOS

  • Os autores fizeram uma pesquisa bibliográfica nas áreas de “gamificação”, “reabilitação”, “exercício” e “terapia” de 2010 a 2020 utilizando os bancos de dados PubMed, ACM, IEEE Xplore, Scopus e ScienceDirect.
Para desbloquear o acesso total a esta Revisão e 222 mais