Reabilitação aguda após luxação traumática anterior do ombro (ARTISAN): ensaio clínico pragmático, multicêntrico, controlado e aleatório

Revisão realizada por Dr Angela Cadogan info

PONTOS CHAVE

  1. Uma abordagem de intervenção mínima pode ser comparável a uma fisioterapia mais intensiva na fase aguda (<6 meses) após uma luxação traumática anterior do ombro em pessoas que frequentam centros de trauma hospitalares.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

A luxação traumática anterior do ombro é uma lesão ortopédica comum, associada a uma morbilidade e incapacidade funcional significativas, no entanto, a estratégia de reabilitação ideal na fase aguda permanece incerta.

O estudo Acute Rehabilitation following Traumatic Anterior Shoulder Dislocation (ARTISAN) visa colmatar esta lacuna, investigando a eficácia de duas abordagens de reabilitação: fisioterapia adicional versus uma intervenção de controlo que consiste numa única sessão de fisioterapia. O objetivo primário é determinar se a fisioterapia adicional melhora o Oxford Shoulder Instability Score (OSIS) aos seis meses após a luxação, em comparação com o grupo de controlo.

A luxação traumática anterior do ombro é uma lesão ortopédica comum associada a uma morbilidade e incapacidade funcional significativas.
bulb
Na população em geral e ligeiramente mais velha que sofre uma luxação do ombro pela primeira vez, esta abordagem de intervenção mínima pode ser o método de tratamento preferido.

MÉTODOS

  • O ARTISAN foi um ensaio clínico aleatório multicêntrico, realizado em 41 hospitais do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido. Foi incluído um total de 482 adultos com luxação traumática anterior do ombro confirmada por radiografia, que estavam a ser
Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 284 mais