Lesão do tendão de Aquiles relacionada à corrida: um estudo biomecânico prospectivo em corredores recreativos

Revisão realizada por Dr Carlo Wood info

PONTOS CHAVE

  1. Um joelho mais flexionado no contato inicial e na fase de apoio intermediário da corrida foram preditores significativos para desenvolver dor no tendão de Aquiles (TA).
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

A dor no tendão de Aquiles (TA) ocorre em 22% das lesões relacionadas com a corrida. Acredita-se que a causa do problema esteja relacionada a uma sobrecarga, provavelmente devido a maiores graus de dorsiflexão e eversão na fase de carga, ou seja, durante o momento que o peso do corpo é transferido para o pé. Outro problema associado é a flexão do joelho. No entanto, isso demonstra resultados inconsistentes em estudos transversais e retrospectivos e cria dificuldade para entender se a biomecânica do tornozelo e do joelho é a causa ou a consequência. A literatura carece de estudos prospectivos de qualidade para determinar os fatores associados à lesão do TA.

Este estudo teve como objetivo determinar se variáveis biomecânicas estavam relacionadas com a incidência de dor no TA durante um ano em corredores de baixo volume.

A dor no tendão de Aquiles (TA) ocorre em 22% das lesões relacionadas com a corrida.
bulb
Fortalecer o glúteo máximo e treiná-lo para obter uma inclinação de 10° para frente trará o joelho para trás, diminuindo a tensão no TA.

MÉTODOS

O estudo incluiu 108 corredores. Foram excluídos os participantes que apresentavam lesão anterior de corrida ou corriam mais de 51 km/semana. Foram incluídos corredores com idade entre 18 e 65 anos. Dados semanais foram coletados durante um ano sobre a

Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 248 mais