Tem acesso a TODAS as 248 Revisões de Pesquisa agora Sabe mais

Os "game changers" da tendinopatia: cinco artigos dos últimos cinco anos que podem mudar a forma como se lida com os tendões

Revisão realizada por Dr. Adam Loiacono info

PONTOS CHAVE

  1. O plasma rico em plaquetas, independentemente da concentração de leucócitos, parece ineficaz no tratamento da tendinopatia patelar.
  2. As injeções de grande volume não oferecem benefícios adicionais e são ineficazes no tratamento da tendinopatia de Aquiles da porção média, em comparação com os cuidados habituais.
  3. Os pacientes com tendinopatia do glúteo que receberam educação e prática de exercício físico foram associados a uma melhor função específica do paciente, aumento da autoeficácia da dor e redução da persistência da dor.

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

Este editorial, publicado numa edição dedicada da JOSPT, centra-se em artigos de investigação inovadores de 2019 a 2023, na sequência do Quinto Simpósio Científico Internacional de Tendinopatias em 2019. Este editorial teve como objetivo atualizar a comunidade clínica e científica sobre as últimas descobertas e metodologias na gestão de tendinopatias.

O objetivo do artigo foi destacar estes estudos metodologicamente robustos, que abordam questões clinicamente relevantes sobre exercício, educação e terapias de injeção. Os autores encorajam a comunidade a participar em discussões sobre estes resultados e a antecipar novas investigações que poderão continuar a moldar o tratamento das tendinopatias no futuro.

Este editorial teve como objetivo atualizar a comunidade clínica e científica sobre as últimas descobertas e metodologias no tratamento das tendinopatias.
bulb
Para tratar a tendinopatia patelar, o exercício de carga progressiva no tendão é mais eficaz do que a terapia de exercícios excêntricos.

MÉTODOS

Os autores selecionaram meticulosamente um artigo chave de cada ano (de 2019 a 2023), que acreditavam poder revolucionar as abordagens de tratamento dos tendões. Estes artigos cobrem uma série de tópicos, incluindo a eficácia do plasma rico em plaquetas (PRP) para a tendinopatia patelar (TP), injeções de alto volume para a tendinopatia de Aquiles (TA), terapia de exercícios de carga progressiva no tendão, o papel da educação e do exercício no tratamento da tendinopatia glútea (TG), e a relação entre a carga do tendão e a dor evocada pelo movimento na TA.

IMPLICAÇÕES CLÍNICAS

  • (2019) Plasma rico em plaquetas para tendinopatia patelar: Um ensaio aleatório controlado de PRP rico em leucócitos ou PRP pobre em leucócitos versus solução salina no American Journal of Sports Medicine pelo Prof. Alex Scott (1)

Este estudo sobre a tendinopatia patelar não encontrou diferenças significativas na incapacidade relacionada com o tendão, na dor ou na perceção de melhoria entre os pacientes tratados com PRP rico em leucócitos, PRP pobre em leucócitos ou uma injeção salina placebo. Os resultados foram consistentes tanto às 12 semanas como aos 12 meses após a injeção. A implicação clínica é que o PRP, independentemente da concentração de leucócitos, parece ser ineficaz no tratamento da tendinopatia patelar.

  • (2020) Eficácia de uma injeção de grande volume como tratamento para a tendinopatia de Aquiles crónica: ensaio controlado aleatório no British Medical Journal pelo Dr. Arco van der Vlist (2)

O estudo clínico sobre a TA não mostrou diferenças significativas na incapacidade relacionada com o tendão, na satisfação ou no regresso ao desporto entre os pacientes que receberam injeções salinas de grande volume sem corticosteroides e os que receberam injeções de placebo. Este resultado foi consistente em vários pontos de tempo. A principal implicação clínica é que as injeções de grande volume não oferecem benefícios adicionais e são ineficazes no tratamento da TA de porção média em comparação com os cuidados habituais, como os programas de exercício.

  • (2021) Eficácia da terapia de exercícios de carga progressiva no tendão em pacientes com tendinopatia patelar: um ensaio clínico aleatório no British Journal of Sports Medicine pelo Dr. Stephan Breda (3)

Num estudo sobre o tratamento da tendinopatia patelar, o exercício de carga progressiva no tendão demonstrou superioridade em relação ao exercício excêntrico na melhoria da dor e da incapacidade relacionada com o tendão. Além disso, verificou-se uma tendência para uma maior taxa de regresso à prática desportiva entre as pessoas submetidas a exercícios de carga progressiva no tendão. A implicação clínica é clara: para o tratamento da tendinopatia patelar, o exercício de carga progressiva no tendão é mais eficaz do que a terapia de exercícios excêntricos, sugerindo que deve ser a abordagem de tratamento preferida.

  • (2022) Mediadores e Moderadores da Educação Mais Exercício na Melhoria Percebida em Indivíduos com Tendinopatia Glútea: Uma Análise Exploratória de um Ensaio Randomizado de 3 Braços no Jornal de Fisioterapia Ortopédica e Desportiva pela Dra. Rebecca Mellor (4)

Este estudo clínico sobre a tendinopatia glútea concluiu que as melhorias registadas nas pessoas que receberam educação e exercício foram associadas a uma melhor função específica do paciente, ao aumento da autoeficácia da dor e à redução da persistência da mesma. A implicação clínica fundamental é a importância de considerar estes fatores individuais - função específica do paciente, autoeficácia da dor e persistência da dor - ao gerir a tendinopatia glútea. Estes fatores influenciam significativamente os resultados relacionados com a incapacidade e a dor associada ao tendão, desempenhando assim um papel fundamental em estratégias de tratamento eficazes.

  • (2023) Padrões de dor evocada pelo movimento durante tarefas de carga e alongamento do tendão na tendinopatia de Aquiles: Uma análise secundária de um estudo controlado aleatório em Biomecânica Clínica pelo Dr. Adam Janowski (5)

O estudo sobre a tendinopatia de Aquiles concluiu que o aumento da carga no tendão exacerba a intensidade da dor, e esta dor está intimamente ligada à rigidez matinal e ao medo do movimento. Clinicamente, isto implica que, ao gerir a tendinopatia de Aquiles, especialmente através de intervenções de exercício e educação, é crucial considerar o potencial do aumento da carga no tendão para provocar sintomas. Além disso, é importante abordar fatores como a rigidez matinal e o medo do movimento, uma vez que estes influenciam significativamente a intensidade da dor e a eficácia global das estratégias de tratamento.

+REFERÊNCIAS DE ESTUDO

Murphy M, Rio E (2023) The Tendinopathy Game Changers: Five papers from the last five years that just might change how you manage tendons. J Orthop Sports Phys Ther, 54(1):1-3.

MATERIAL DE APOIO

  1. Scott A, LaPrade RF, Harmon KG, et al. Platelet-Rich Plasma for Patellar Tendinopathy: A Randomized Controlled Trial of Leukocyte-Rich PRP or Leukocyte-Poor PRP Versus Saline. Am J Sports Med. 2019;47(7):1654-1661.
  2. van der Vlist AC, van Oosterom RF, van Veldhoven PLJ, et al. Effectiveness of a high volume injection as treatment for chronic Achilles tendinopathy: randomised controlled trial. BMJ.
  3. Breda SJ, Oei EHG, Zwerver J, et al. Effectiveness of progressive tendon-loading exercise therapy in patients with patellar tendinopathy: a randomised clinical trial. British journal of sports medicine. 2021;55(9):501-509.
  4. Mellor R, Kasza J, Grimaldi A, et al. Mediators and Moderators of Education Plus Exercise on Perceived Improvement in Individuals With Gluteal Tendinopathy: An Exploratory Analysis of a 3-Arm Randomized Trial. The Journal of orthopaedic and sports physical therapy. 2022;52(12):826-836.
  5. Janowski AJ, Post AA, Heredia-Rizo AM, et al. Patterns of movement-evoked pain during tendon loading and stretching tasks in Achilles tendinopathy: A secondary analysis of a randomized controlled trial. Clin Biomech (Bristol, Avon). 2023;109:106073.