Os testes físicos têm um valor prognóstico na tendinopatia crónica na região média do tendão de Aquiles?

Revisão realizada por Dr Seth O’Neill info

PONTOS CHAVE

  1. Pessoas com níveis elevados de dor ao saltar 10 vezes tiveram piores resultados clínicos no follow up, em comparação com pessoas com níveis baixos de dor ao saltar 10 vezes.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

Muitos testes clínicos são utilizados para avaliar a tendinopatia do tendão de Aquiles, mas a relação com a trajetória do paciente (prognóstico) ainda não foi de facto observada. Esta área parece ter se tornado um pouco mais interessante, e este é um dos 2/3 estudos recentes sobre o assunto.

O objetivo deste artigo foi determinar se os testes físicos iniciais têm valor de prognóstico nos resultados relatados em pacientes com tendinopatia do tendão de Aquiles.

Muitos testes clínicos são utilizados para avaliar a tendinopatia do tendão de Aquiles, mas a relação com o prognóstico do paciente ainda não foi de facto observada.
bulb
A dor à palpação e a dor ao realizar 10 saltos foram úteis no que respeita ao prognóstico.

MÉTODOS

O estudo foi uma análise secundária de 80 pacientes de um ensaio controlado randomizado (RCT) (1). No RCT principal, os dois grupos foram intervencionados sendo que um deles foi com uma injeção de alto volume (10ml) (num único momento), e

Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 284 mais