Nem sempre se deve aos sprints:: lesões agudas por estiramento dos isquiotibiais em equipas profissionais masculinas de rugby - uma análise sistemática por análise de vídeo

Revisão realizada por Dr Jarred Boyd info

PONTOS CHAVE

  1. As lesões por estiramento dos isquiotibiais, numa equipa profisisonal de rugby, são influenciadas pela cinemática multiplanar do tronco, que pode ser um factor relevante durante o processo de reabilitação.
Todos os pontos-chave disponíveis apenas para membros

INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

Atletas de desportos de campo são expostos a frequentes estímulos biomecânicos de alta intensidade, particularmente com intenção tática de invasão e evasão. Um dos tecidos mais comumente submetidos a esses estímulos é o complexo dos isquiotibiais devido às constantes cargas de tensão-deformação. A categorização das lesões por estiramento dos isquiotibiais foi classificada como lesões do tipo alongamento ou do tipo sprint (1).

O objetivo deste estudo foi realizar análise de vídeos e determinar os biomecanismos mais prováveis de lesões por estiramento dos isquiotibiais em atletas de rugby.

Atletas de desportos de campo são expostos a frequentes estímulos biomecânicos de alta intensidade, particularmente no complexo dos isquiotibiais.
bulb
A implementação de cargas isoladas, além da coordenação integrada do tronco, parece ser uma busca mais holística na expansão dos limites cinéticos e cinemáticos de atletas que retornam de lesões nos isquiotibiais.

MÉTODOS

  • Este estudo foi uma análise sistemática de vídeo de atletas do Leinster Rugby Union que sofreram lesão por estiramento dos isquiotibiais durante as temporadas de 2015-2016 e 2016-2017.
Para desbloqueares o acesso total a esta Revisão e 260 mais