9 verdades sobre tendinopatias que TENS que saber

4 - minutos de leitura Publicado em Tendões
Escrito por Dr. Peter Malliaras info

Há muita coisa que não sabemos sobre a tendinopatia, mas há algumas verdades irrefutáveis que deves conhecer enquanto clínico e paciente (as referências abaixo fornecem provas).singleimage

1) A tendinopatia não melhora com o repouso – a dor pode acalmar, mas o regresso à atividade é frequentemente doloroso, porque o repouso não leva a um aumento da tolerância do tendão à carga.

2) Embora a tendinopatia envolva algumas células e bioquímicos inflamatórios, não é considerada uma resposta inflamatória clássica. Os anti-inflamatórios podem ajudar se os níveis de dor forem muito elevados, mas não é claro qual o seu efeito nas células e na patologia em si.

3) A tendinopatia pode ser provocada por muitos fatores de risco diferentes. O principal fator é uma mudança súbita em determinadas atividades – essas atividades incluem 1) aquelas que exigem que o tendão armazene energia (ou seja, andar, correr, saltar) e 2) cargas que comprimem o tendão. Algumas pessoas estão predispostas devido à biomecânica (por exemplo, fraca capacidade ou resistência muscular) ou a fatores sistémicos (por exemplo, idade, menopausa, colesterol elevado, maior suscetibilidade à dor, etc.). As pessoas predispostas podem desenvolver dores nos tendões mesmo com alterações subtis na sua atividade.

4) O exercício é o tratamento mais comprovado para a tendinopatia – os tendões precisam de ser submetidos a cargas progressivas para que possam desenvolver uma maior tolerância às cargas que um indivíduo tem de suportar no seu dia-a-dia. Na grande maioria dos casos (mas não em todos), a tendinopatia não melhora sem este estímulo vital de carga.

5) A modificação da carga é importante para a redução da dor nos tendões. Isto implica frequentemente a redução (pelo menos a curto prazo) da carga tendinosa excessiva que envolve o armazenamento de energia e a compressão.

6) A patologia na imagiologia NÃO é igual à dor – a patologia é comum em pessoas sem dor. Além disso, se disserem que tem “patologia grave” ou mesmo “lacerações”, isso NÃO significa necessariamente que não irá melhorar ou que terá um pior prognóstico. Além disso, sabemos que, mesmo com o tratamento melhor intencionado (exercício, injeções, etc.), não é provável que a patologia se reverta na maioria dos casos. Por conseguinte, a maior parte dos tratamentos tem como objetivo melhorar a dor e a função, em vez de melhorar a cicatrização dos tecidos, embora este aspeto não deixe de ser tido em conta.

7) As tendinopatias raramente melhoram a longo prazo apenas com tratamentos passivos, como massagens, ultrassons terapêuticos, injeções, terapia por ondas de choque, etc. O exercício é muitas vezes o ingrediente vital e os tratamentos passivos são adjuvantes. Devem ser evitadas as injeções múltiplas, que estão frequentemente associadas a um pior resultado.

8) O exercício tem de ser individualizado. Isto baseia-se na apresentação da dor e da função do indivíduo. Deve haver um aumento progressivo da carga para permitir o restabelecimento da função desejada, respeitando a dor.

9) As tendinopatias respondem muito lentamente ao exercício. É preciso ter paciência, garantir que o exercício é correto e progredir adequadamente, e tentar resistir à tentação comum de aceitar “atalhos” como injeções e cirurgia. Muitas vezes não há atalhos.

De notar que estes são princípios gerais e que há casos em que os adjuvantes, incluindo injeções e cirurgia, são muito apropriados no tratamento da tendinopatia.

Para saberes mais sobre o tratamento otimizado da tendinopatia, não deixes de consultar a Masterclass do Dr. Seth O’Neill sobre A Gestão Da Tendinopatia Dos Membros Inferiores (Em inglês).

singleimage

A imagem é deste artigo sobre tendinopatia patelar de Peter Malliaras et al.

Este artigo foi originalmente publicado no website do Dr. Peter Malliaras. Podes clicar aqui para ler mais blogues da sua autoria.

Queres saber mais sobre tendinopatia?

O Dr. Seth O’Neill fez uma série de palestras Masterclass para nós sobre:

” A Gestão da Tendinopatia dos Membros Inferiores”

Podes experimentar a Masterclass GRATUITAMENTE agora com o nosso teste de 7 dias!

preview image

References

Não te esqueças de compartilhar este blog!

Deixa um comentário

Se tiveres alguma questão, sugestão ou algum link de uma investigação relacionada com o tema, partilhe abaixo!

Deves estar com o login feito para publicar ou gostar de um comentário.

Elevate Your Physio Knowledge Every Month!

Get free blogs, infographics, research reviews, podcasts & more.